Feeds:
Posts
Comentários

Archive for outubro \24\UTC 2009

formatura
Um dia, quando eu era calouro na escola, vi um garoto de minha sala caminhando para casa depois da aula. Seu nome era Kyle. Parecia que ele estava carregando todos os seus livros. Eu pensei: “Por que alguém iria levar para casa todos os seus livros numa sexta-feira? Ele deve ser mesmo um C.D.F.!!!”

O meu final de semana estava planejado (festas e um jogo de futebol com meus amigos sábado à tarde), então dei de ombros e segui o meu caminho. Conforme ia caminhando, vi um grupo de garotos correndo em direção a Kyle. Eles o atropelaram, arrancando todos os livros de seus braços, empurrando-o de forma que ele caiu no chão. Seus óculos voaram e eu os vi aterrisarem na grama há alguns metros de onde ele estava.

Kyle ergueu o rosto e eu vi uma terrível tristeza em seus olhos. Meu coração penalizou-se!

Corri até o colega, enquanto ele engatinhava procurando por seus óculos.

Pude ver uma lágrima em seus olhos. Enquanto eu lhe entregava os óculos, disse: “Aqueles caras são uns idiotas! Eles realmente deviam arrumar uma vida própria”.

Kyle olhou-me nos olhos e disse, “Ei, obrigado”!.

Havia um grande sorriso em sua face. Era um daqueles sorrisos que realmente mostram gratidão. Eu o ajudei a apanhar seus livros e perguntei onde ele morava.

Por coincidência ele morava perto da minha casa, mas não havíamos nos visto antes, porque ele freqüentava uma escola particular.

Conversamos por todo o caminho de volta para casa e eu carreguei seus livros. Ele se revelou um garoto bem legal. Perguntei se ele queria jogar futebol no sábado comigo e meus amigos. Ele disse que sim. Ficamos juntos por todo o final de semana e quanto mais eu conhecia Kyle, mais gostava dele. Meus amigos pensavam da mesma forma.

Chegou a segunda-feira e lá estava o Kyle com aquela quantidade imensa de livros outra vez! Eu o parei e disse: “Diabos, rapaz, você vai ficar realmente musculoso carregando essa pilha de livros assim todos os dias!”.

Ele simplesmente riu e me entregou metade dos livros. Nos quatro anos seguintes, Kyle e eu nos tornamos mais amigos, mais unidos. Quando estávamos nos formando começamos a pensar em Faculdade. Kyle decidiu ir para Georgetown e eu para a Duke. Eu sabia que seríamos sempre amigos, que a distância nunca seria problema. Ele seria médico e eu ia tentar uma bolsa escolar no time de futebol.

Kyle era o orador oficial de nossa turma. Eu o provocava o tempo
todo sobre ele ser um C.D.F. Ele teve que preparar um discurso de formatura e eu estava super contente por não ser eu quem deveria subir no palanque e discursar.

No dia da Formatura Kyle estava ótimo. Era um daqueles caras que realmente se encontram durante a escola. Estava mais encorpado e realmente tinha uma boa aparência, mesmo usando óculos. Ele saía com mais garotas do que eu e todas as meninas o adoravam! Às vezes eu até ficava com inveja.

Hoje era um daqueles dias. Eu podia ver o quanto ele estava nervoso sobre o discurso. Então, dei-lhe um tapinha nas costas e disse: “Ei, garotão, você vai se sair bem!”. Ele olhou para mim com aquele olhar de gratidão, sorriu e disse: -“Valeu” !!

Quando ele subiu no oratório, limpou a garganta e começou o discurso:
“A Formatura é uma época para agradecermos àqueles que nos ajudaram durante estes anos duros. Seus pais, professores, irmãos, talvez até um treinador… mas principalmente aos seus amigos. Eu estou aqui para lhes dizer que ser um amigo, para alguém, é o melhor presente que você pode lhe dar. Vou contar-lhes uma história” .

Eu olhei para o meu amigo sem conseguir acreditar enquanto ele contava a história sobre o primeiro dia em que nos conhecemos.

Ele havia planejado se matar naquele final de semana!

Contou à todos como havia esvaziado seu armário na escola, para que sua mãe não tivesse que fazer isso depois que ele morresse e estava levando todas as suas coisas para casa. Ele olhou diretamente nos meus olhos e deu um pequeno sorriso.

– “Felizmente, meu amigo me salvou de fazer algo inominável” !

Eu observava o nó na garganta de todos na platéia enquanto aquele rapaz popular e bonito contava à todos sobre aquele seu momento de fraqueza. Vi sua mãe e seu pai olhando para mim e sorrindo com a mesma gratidão. Até aquele momento eu jamais havia me dado conta da profundidade do sorriso que ele me deu naquele dia.

………………………………………………………………………….

Nunca substime o poder de suas ações.
Com um pequeno gesto você pode mudar a vida de uma pessoa.
Para melhor ou para pior.

(autor desconhecido – Se conheces a autoria, por favor, me informe para que seja feita a correção).

Anúncios

Read Full Post »

Castelo de areia

“Num dia de verão, estava na praia, observando duas crianças brincando na areia.

Elas trabalhavam muito, construindo um castelo de areia,
com torres, passarelas e passagens internas.

Quando estavam quase acabando, veio uma onda e destruiu tudo,
reduzindo o castelo a um monte de areia e espuma.

Achei que, depois de tanto esforço e cuidado,
as crianças cairiam no choro.

Mas tive uma surpresa.

Em vez de chorar, correram pela praia, fugindo da água,
rindo de mãos dadas e começaram a construir outro castelo.

Compreendi que havia aprendido uma grande lição:
gastamos muito tempo da nossa vida construindo alguma coisa e,
mais cedo ou mais tarde, uma onda poderá vir e destruir tudo o que
levamos tanto tempo para construir.

Mas quando isso acontecer (e aqui eu digo, se isso acontecer),
somente aquele que tem as mãos de alguém para segurar,
será capaz de sorrir!

Só o que permanece é a amizade, o amor e o carinho.
O resto. . . é feito de areia.”

(autor desconhecido)

Read Full Post »

sol

Se eu pudesse dar a vocês apenas um conselho em relação ao futuro diria apenas “usem filtro solar”! Os benefícios a longo prazo do uso do filtro solar foram cientificamente comprovados. Os demais conselhos que darei baseiam-se unicamente em minha própria experiência…

Eis aqui um conselho: desfrute do poder e da beleza da juventude. Oh! Esqueça… Você só vai compreender o poder e a beleza de sua juventude quando já tiverem desaparecidos. Mas, acreditem em mim, dentro de vinte anos você olhará suas fotos e compreenderá, de um jeito que não pode compreender agora, quantas oportunidades se abriram para você quando você era realmente fabulosa(o).

Você não é tão gorda(o) quanto você imagina.

Não se preocupe com o futuro. Ou se preocupe, se quiser, sabendo que a preocupação é tão eficaz quanto tentar resolver uma equação de álgebra mascando chiclete.
É quase certo que os problemas que realmente têm importância em sua vida são aqueles que nunca passaram por sua mente, como aqueles que tomam conta de você às 16h de alguma terça-feira ociosa.

Todos os dias faça alguma coisa que seja realmente assustadora.

Cante!

Não trate os sentimentos alheios de forma irresponsável. Não tolere aqueles que agem de forma irresponsável em relação a você.

Relaxe!

Não perca seu tempo com a inveja. Algumas vezes você está à frente; outras você está atrás.
A corrida é longa e, no final, terá que contar só com você.

Lembre dos elogios que recebe. Esqueça os insultos (se conseguir fazer isso, diga-me como!).
Guarde suas velhas cartas de amor. Jogue fora seus extratos bancários.

Estique-se!

Não tenha sentimento de culpa se não sabe muito bem o que quer da vida. As pessoas mais interessantes que conheço não tinham, aos 22 anos, nenhuma idéia do que fariam na vida. Algumas pessoas interessantes que conheço aos 40 anos ainda não sabem.

Tome bastante cálcio. Seja gentil com seus joelhos. Você sentirá falta deles quando não funcionarem mais.

Talvez você case, talvez não. Talvez você tenha filhos, talvez não. Talvez você se divorcie aos 40, talvez dance uma valsinha quando fizer 75 anos de casamento. O que quer que você faça, não se orgulhe, nem se critique, demais. Todas as suas escolhas têm 50% de chance de dar certo, assim como as escolhas de todos os demais…

Curta seu corpo da maneira que puder. Não tenha medo dele ou do que as outras pessoas pensem dele. Ele é seu maior instrumento.

Dance!

Mesmo que o único lugar que você tenha para dançar seja sua própria sala de estar.

Leia todas as instruções, mesmo que você não as siga. Não leia revistas de beleza. A única coisa que elas fazem é mostrar como você é feia(o).

Saiba entender seus pais. Você nunca sabe a falta que vai sentir deles. Seja agradável com seus irmãos. Eles são seu melhor vínculo com seu passado e aqueles que no futuro provavelmente nunca deixarão você na mão.

Entenda que amigos vão e vêm, mas que há um punhado deles bastante preciosos que você tem que guardar com carinho.

Trabalhe duro para transpor os obstáculos geográficos e os da vida, porque quanto mais você envelhece tanto mais precisa das pessoas que conheceram você na juventude.

Viaje!

Aceite algumas verdades eternas: os preços vão sempre subir; os políticos são todos mulherengos; você também vai envelhecer. E quando envelhecer vai fantasiar que quando você era jovem os preços eram acessíveis, os políticos eram nobres de alma e as crianças respeitavam os mais velhos.

Respeite os mais velhos.

Não espere apoio de ninguém. Talvez você tenha uma aposentadoria. Talvez tenha um cônjuge rico. Mas você nunca sabe quando um ou outro podem desaparecer.

Não mexa muito em seu cabelo, senão quando tiver 40 anos vai ficar com a aparência de 85.

Tenha cuidado com as pessoas que lhe dão conselhos. Mas seja paciente com elas. Conselho é uma forma de nostalgia. Dar conselho é uma maneira de resgatar o passado da lata do lixo, limpá-lo, esconder as partes feias e reciclá-lo por um preço maior do que realmente vale.

Mas, acredite em mim quando falo do filtro solar…

(Tim Cox e Nigel Swatson)

Read Full Post »

janela

Dois homens, seriamente doentes, ocupavam o mesmo quarto em um hospital. Um deles ficava sentado em sua cama por uma hora todas as tardes para conseguir drenar o líquido de seus pulmões. Sua cama ficava próxima da única janela existente no quarto. O outro homem era obrigado a ficar deitado de bruços em sua cama por todo o tempo. Eles conversavam muito. Falavam sobre suas mulheres e suas famílias, suas casas, seus empregos, seu envolvimento com o serviço militar, onde eles costumavam ir nas férias.

E toda tarde quando o homem perto da janela podia sentar-se ele passava todo o tempo descrevendo ao seu companheiro todas as coisas que ele podia ver através da janela. O homem na outra cama começou a esperar por esse período onde seu mundo era ampliado e animado pelas descrições do companheiro. Ele dizia que da janela dava para ver um parque com um lago bem legal. Patos e cisnes brincavam na água enquanto as crianças navegavam seus pequenos barcos. Jovens namorados andavam de braços dados no meio das flores e estas possuíam todas as cores do arco-íris. Grandes e velhas árvores cheias de elegância na paisagem, e uma fina linha podia ser vista no céu da cidade.

Quando o homem perto da janela fazia suas descrições, ele o fazia de modo primoroso e delicado, com detalhes e o outro homem fechava seus olhos e imaginava a cena pitoresca.Uma tarde quente, o homem perto da janela descreveu que havia um desfile na rua e embora ele não pudesse escutar a musica, ele podia ver e descrever tudo. Dias e semanas passaram-se assim.

Em uma manhã a enfermeira do dia chegou trazendo água para o banho dos dois homens mas achou um deles morto. O homem que ficava perto da janela morreu pacificamente durante o seu sono a noite. Ela estava entristecida e chamou os atendentes do hospital para levarem o corpo embora.

Assim que julgou conveniente, o outro homem pediu a enfermeira que mudasse sua cama para perto da janela. A enfermeira ficou feliz em poder fazer esse favor para o homem e depois de verificar que ele estava confortável o deixou sozinho no quarto. Vagarosamente, pacientemente, ele se apoiou em seu cotovelo para conseguir olhar pela primeira vez pela janela. Finalmente, ele poderia ver tudo por si mesmo.

Ele se esticou ao máximo, lutando contra a dor para poder olhar através da janela e quando conseguiu faze-lo deparou-se com um muro todo branco. Ele então perguntou a enfermeira o que teria levado seu companheiro a descrever-lhe coisas tão belas, todos os dias se pela janela só dava para ver um muro branco?

A enfermeira respondeu que aquele homem era cego e não poderia ver nada mesmo que quisesse. Talvez ele só estivesse pensando em distrai-lo e alegrá-lo um pouco mais com suas historias.

Moral da historia: Há uma tremenda alegria em fazer outras pessoas felizes, independente de nossa situação atual. Dividir problemas e pesares é ter metade de uma aflição, mas felicidade quando compartilhada é ter o dobro de felicidade.

Se você quer se sentir rico, apenas conte todas as coisas que você tem e que o dinheiro não pode comprar.

(autor desconhecido)

Read Full Post »